Whatsapp da Florencanto11 99974-0597
Imperdível - Lindos buquês de flores





Rosas Pink


Floricultura na Liberdade-São Paulo | Entrega com Frete Grátis


São Paulo é uma cidade muito grande, eclética e bonita.
Não é difícil encontrar flores em Liberdade, que geralmente são bem coloridas, perfumadas e frescas.
Com seu incrível tamanho, São Paulo celebra o verde e as cores e tem uma grande quantidade de Floriculturas oferecendo sua arte e uma variedade enorme de bouquets e mostrando a nós lindas e até desconhecidas flores.

Entregamos na Liberdade

Sempre há uma bela floricultura para oferecer o melhor de suas criações nos arredores de seu bairro ou online. Você pode ter uma namorada, parente ou amigo que vive no Brasil, que está comemorando uma ocasião especial, e que você precisa para transmitir uma mensagem de amor a partir do outro lado do globo. Então, nós como floricultura online, fazemos a entrega de flores para São Paulo, por exemplo.
Com sede em São Paulo, a Florencanto vai garantir um incrível bouquet, fresco, cheio de vida, energia e encantamento, o que caracteriza nosso trabalho e as flores do Brasil. Enviar flores para São Paulo através de uma das melhores floriculturas e mostrar-lhes que você se importa fica muito mais fácil assim.

Floricultura entrega na Liberdade - São Paulo

Quem passa pelo bairro da Liberdade, no centro da cidade de São Paulo, tem a impressão de que chegou ao Japão.Anda - se na rua Galvão Bueno, a principal da região, entre pilastras vermelhas com as inconfundíveis lanternas japonesas e, caminhando um pouco mais, descobre-se um pequeno jardim oriental. Os letreiros das lojas que se multiplicam em cada quarteirão misturam o idioma japonês ao português da mesma forma como os senhores que conversam nas calçadas. Essa sensação de se estar em outro país aumenta no fim de semana, quando se pode perambular pela feira de artesanato que acontece aos domingos. Mesmo dividindo o espaço com barracas de acarajé, ainda se vê muito da cultura japonesa em leques, quimonos e utensílios que são vendidos na região, sem falar nas festas tradicionais que são realizadas durante o ano. Apesar da Liberdade estar ligada aos japoneses, aos poucos eles têm se mudado para outras regiões da cidade.Mas ainda permanece como ponto turístico quando se fala no único local, em pleno Brasil, que tenta reproduzir o Japão. “Hoje, os comerciantes não são somente japoneses”, comenta Hirofumi Ikesaki, presidente da Associação Cultural e Assistencial da Liberdade. “Agora, coreanos e chineses estão se fixando no bairro, como fizeram os primeiros imigrantes cinqüenta anos atrás. Muito antes de todos eles, a Liberdadeera dos italianos, que ocupavam as inúmeras pensões do bairro.Sinal de que os tempos mudavam, esses pequenos sobrados surgiram onde, anteriormente, plantava - se café.Só depois, seguindo a mesma trilha, vieram os japoneses. De um lugar barato para se morar, a Liberdade se tornou perigosa para os japoneses durante a Segunda Guerra Mundial. Com a adesão do Japão no conflito a favor das tropas de Hitler, o governo brasileiro proibiu o uso da língua japonesa e qualquer reunião que acontecia a portas fechadas era reprimida pela polícia, resultando em incontáveis prisões. Não foi somente esse o problema da época. Quando acabou a guerra, o grupo de extrema direita Shindo Renmei passou a perseguir os japoneses que aceitavam a derrota do Japão, marcando a tinta vermelha todas as casas daqueles que se pensava estar traindo a nação. A transformação da Liberdade em bairro tipicamente japonês só ocorreu a partir de 1969, uma idéia que foi proposta pelo jornalista Randolfo Marques Lobato, presidente de uma comissão de moradores que reunia, além dos japoneses, coreanos, chineses e vietnamitas. A mudança apareceria quatro anos depois, com a inauguração da linha norte - sul do metrô paulistano. As fachadas dos prédios foram remodeladas e os estabelecimentos trocaram as antigas placas por letreiros bilíngües. A rua Galvão Bueno recebeu um imenso portal no Viaduto Cidade de Osaka e a Liberdade ganhou a aparência de uma região que tem mais cara de Japão do que muitos bairros japoneses dos dias atuais. Atualmente, no bairro Liberdade conta com muitas lojas, shoppings, floriculturas, bancos, igrejas, hospitais, etc.Apresenta diversas áreas culturais, como o Tendal da Lapa, a maior casa de cultura municipal da cidade, sediada em um prédio histórico da região, com 7 400 metros quadrados; a Estação Ciência; o Teatro Cacilda Becker; o Clube-Escola Pelezão; o Museu do Relógio e o Museu Espírita. O bairro foi cenário da novela da Rede Globo de televisão Caras & Bocas, exibida em 2009 É um polo de ligação entres os bairros da Zona Oeste de São Paulo. Sua vocação comercial é visível no Mercado da Lapa e no Shopping Center Lapa.[3] Atualmente, a Lapa é um dos bairros mais bem servidos de infraestrutura urbana da cidade. É atendido pelas linhas Sete e Oito da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, respectivamente ramos da São Paulo Railway e Estrada de Ferro Sorocabana.